Por que implementar a ISO 37001: certificação do sistema antissuborno

3 de setembro de 2020por Eduardo Ercoli0

Como você já viu anteriormente em nosso blog, a ISO 37001 é uma norma com medidas que evitam a corrupção. Justamente por isso, também é conhecida como a ISO do sistema de gestão antissuborno.

Se você ainda não leu, recomendo que o leia o artigo sobre o Sistema de Gestão Antissuborno para entender melhor do que se trata.

Mas se você já sabe o que a ISO 37001 representa e ainda tem dúvidas sobre os benefícios da certificação, continue a leitura, que eu mostrarei a você o porquê de implementar a ISO 37001 ao seu negócio.

Por que ser certificado pela ISO 37001

Todas as certificações não são apenas vaidade da empresa, embora contribuam para a sua imagem perante consumidores, fornecedores e parceiros. Mais do que isso, elas também são uma garantia para o próprio negócio, enquanto certificam que o processo de gestão promove seu desenvolvimento sustentável.

Diante desse cenário, surge, então, uma preocupação com a questão da corrupção e do suborno, males recorrentes na sociedade contemporânea. Pense, por exemplo, em quantos casos de corrupção, envolvendo órgãos públicos ou empresas privadas, foram noticiados na última década. 

No senso comum brasileiro tende-se a crer que a impunidade vigora. E portanto, que mesmo após escândalos de corrupção, as empresas saem impunes. Contudo, esta não é a realidade da grande maioria. 

A verificação de episódios de corrupção e subornos internos pode ser prejudicial à saúde financeira e manutenção do negócio tanto direta quanto indiretamente. Ou seja, por um lado, o dinheiro da empresa pode ser o objeto desta corrupção. Desse modo, pode ser que os números reais não coincidam com aqueles dos relatórios, situações que podem levar a empresa a cenários críticos. 

Por outro lado, a revelação de casos como estes pode afetar o processo de entrada de caixa, já que prejudica a imagem da empresa. E na sociedade do novo milênio, especialistas apontam que a ética de negócio é uma das prioridades para as relações de consumo.

É claro que é impossível controlar as ações de todos os colaboradores de uma empresa. Contudo, o que pode ser feito para prevenir e minimizar esses danos, inclusive para atribuição de responsabilidade sobre eles?

São medidas como estas que a ISO 37001, primeira norma internacional de sistema de gestão antissuborno, pretende impulsionar.

Benefícios da certificação ISO 37001 para a sua empresa

Como mencionado antes, a ISO 37001 não se restringe a órgãos e empresas públicas, mas também às empresas privadas e, inclusive, a organizações sem fins lucrativos, associações e outras formas de sociedade.

Para, entender melhor os benefícios, contudo, relembramos o que é suborno segundo a norma ISO:

oferta, promessa, doação, aceitação ou solicitação de uma vantagem indevida de qualquer valor (que pode ser financeiro ou não financeiro), direta ou indiretamente, e independente de localização (ões), em violação às leis aplicáveis, como um incentivo ou recompensa para uma pessoa que está agindo ou deixando de agir em relação ao desempenho das suas obrigações.

Portanto, ao falar em violação às leis aplicáveis, muito provavelmente somos remetidos a normas de compliance. E de fato, este é o passo central. Em outros termos, contudo, você verá que as medidas tomam por base não apenas regras de responsabilidade, como também:

  • treinamentos e capacitações;
  • sistemas de liderança;
  • análise de riscos e impactos das ações implementadas pela empresa;
  • processos de avaliação de conduta;
  • controle de danos à imagem da empresa, entre outros elementos.

Na prática, os resultados não são apenas neutro-positivos, porquanto evitam impactos negativos e perdas. Representam, no entanto, ganhos à empresa, enquanto melhora do clima organizacional, o que impacta a cadeia de produção, e também da imagem e valor do negócio, o que repercute diretamente nos lucros da empresa.

1. Segurança para os lucros da sua empresa

Em primeiro lugar, a ISO 31007 é uma garantia para a saúde financeira do seu negócio. Um pequeno desvio pode não parecer significativo a um primeiro momento, mas é como uma bola de neve. Afinal, a ausência de responsabilização pela conduta implica, muitas vezes, no incentivo à continuidade da prática. Do mesmo modo, outros funcionários podem se sentir impelidos a também infringir as normas se verificam que um deles age de tal maneira. 

O que ocorre é que se instaura um novo padrão de comportamento em concomitância às regras gerais, quando não há uma gestão capaz de incentivar e fiscalizar as condutas internas. Isto não significa uma liderança controladora, necessariamente, mas uma liderança que acompanha os procedimentos.

Deve-se lembrar, também, que a vedação é tanto para a corrupção quanto para o suborno. Ou seja, um funcionário que recebe valores que não deveria de um fornecedor ou de um cliente, não obstante o suborno entre colaboradores.

Nesse cenário, grande volumes do rendimento da empresa podem ser retirados e mascarado nos relatórios, de modo que os diretores somente tomam conhecimento quanto a empresa entra em um processo de falência.

Outro fator que influencia nessa perda de lucros é a falta de credibilidade da empresa. E para quem pensa que a credibilidade está apenas no campo sentimental, está enganado. Credibilidade no mercado pode significar também mais ou menos dinheiro investido. E para as empresas com ações na bolsa de valores, pode significar uma queda significativa no seu valor negocial.

Tudo isso, contudo, poderia ser minimizado se a empresa seguisse os padrões da ISO 37001 e implementasse um sistema de gestão antissuborno.

2. Compliance como confiança e credibilidade com parceiros

Como visto acima, a credibilidade é algo essencial em negócios. Por que, quando um escândalo surge na mídia, a quantidade de investimentos estrangeiros cai, assim como as ações da bolsa de valores? Porque corrupção é um risco para o negócio. 

Da mesma que forma que para a empresa envolvida no caso de suborno e corrupção, para os parceiros há o risco de perda de dinheiro com um investimento que não dá sucesso e também oferece um risco à sua imagem. A depender do nicho com que se trabalha, isto pode ser menos ou mais grave.

Ainda, o parceiro – ou stakeholder – pode ser envolvido indiretamente nas práticas antiéticas, sob o risco de eventuais responsabilizações, quando não penalizações.

Portanto, as parcerias são construídas em cima de confiança e exigem garantias.

E a certificação ISO 37001, dessa maneira, é essa garantia de que investimentos e parcerias não darão prejuízos também aos terceiros.

Por meio de práticas padrões e em compliance, você consegue provar aos terceiros qual a sua visão de negócio, qual o seu posicionamento e o que você pode oferecer a ele para além do aspecto negocial, mas todo o seu contexto.

Por fim, apresentar aos parceiros as políticas de compliance é também uma maneira de proteger a sua empresa diante da ausência de gestão antissuborno no parceiro. Ou seja, protegendo o seu negócio contra ações sob as quais não possui controle.

3. Melhora para a imagem da empresa: do branding à reação

Outro benefício, enfim, é a forma como a sua empresa será vista pelo mercado e pela sociedade. E veja, há diferentes formas de ser visto, mesmo quando não se consegue impedir uma conduta antiética.

O ideal, por óbvio, é implementar os requisitos da ISO 37001 e prevenir, dessa maneira, que a sua empresa seja alvo de casos de suborno ou corrupção. Isto repercute no seu cliente, porque também gera a ele a confiança sobre o que está sendo oferecido e consumido. 

Digamos, por exemplo, que você possui uma empresa no ramo da construção civil. E um caso de corrupção que envolve a compra de produtos abaixo da qualidade e suborno se revela. Os clientes que contrataram os seus serviços provavelmente se sentirão enganados e lesados. 

Portanto, ter uma política de condutas internas – compliance – é chave para impedir que questões como essa ocorram.

Mas e se ocorrer um caso de corrupção na sua empresa?

A ISO 37001, assim como todas as políticas implementadas, não é infalível. Elas pretendem evitar essa ocorrência, mas não podem impedi-la. Contudo, faz parte de uma política de compliance a previsão de minimização de riscos e danos. O que, portanto, a sua empresa pode fazer diante de um caso de corrupção? Embora um plano de ação dependa do contexto, é importante manter uma margem de previsibilidade para agir rápido e de forma adequada.

Se um cliente, por fim,  sabe que você tem a certificação ISO 37001, ele tem a garantia de que você adotou todos os procedimentos possíveis para prevenir essa situação e talvez responsabilize menos a empresa como um todo. Isto significa menos perdas financeiras, menos prejuízo à imagem. 

Quer saber como implementar a Certificação ISO 37001? Entre em contato com a Ercoli Consultoria!

Eduardo Ercoli

Eduardo Ercoli

Diretor Geral e sócio da Ercoli Consultoria, Engenheiro Civil (UFPR), Pós-Graduado em Planejamento e Gerenciamento Estratégico (PUC/PR), Lead-Auditor ISO-9001, ISO-14001, SA-8000, Consultor e Instrutor Credenciado do SEBRAE/SC em Gestão de Processos, Consultor Sênior com 23 anos de experiência em consultoria empresarial, Parceiro comercial do organismo de certificação Italiano RINA, Atuou como auditor de organismo de certificação Suíço SGS por 10 anos. Atuação como consultor em empresas de prestação de serviços e indústrias de diversos ramos de atividades.

Deixa um comentário

Your email address will not be published. Required fields are marked *

ERCOLI CONSULTORIANossos contatos
Estamos atentos ao seu contato.
(47) 9 8831-9595
NOSSA LOCALIZAÇÃOOnde nos encontrar
https://ercoliconsultoria.com.br/wp-content/uploads/2020/08/img-footer-map-ercoli.png
Blumenau/SC: R. XV de Novembro, 1336 – 12º andar, Sala 120 – Centro
ENTRE EM CONTATORedes sociais da Ercoli
Faça parte da nossa rede de contatos

Ercoli Consultoria. Todos os direitos reservados.

Ercoli Consultoria. Todos os direitos reservados.